HONÓRIO CAPIBA: PRIMEIRO PROFESSOR DE MÚSICA DE OURO BRANCO

 

Honório Capiba

Honório Maciel da Fonseca, mais conhecido como Honório Capiba, chegou aqui em Ouro Branco com sua família no ano de 1913. Ele foi casado com Julia Moura da Fonseca. O casal teve alguns filhos nascidos e batizados  aqui em Ouro Branco, como consta abaixo nos dois assentamentos de batizados da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Jardim do Seridó:

 

“Osvaldo, filho legitimo de Honorio Maciel da Foncêca e Julia Moura da Foncêca nasceu aos quatroze de Março de mil nove centos e vinte e um e foi por mim baptizado na Capella de Ouro branco aos nove de Maio do mesmo: foram padrinhos, Cícero Maciel da Fonseca e Maria Moura da Fonseca. De que mandei fazer este assento que assigno.

                                                                                                                     Conego Amancio Ramalho”

 

“Mirabeau, filho leg. de Honorio Maciel da Foncêca e Julia Moura da Foncêca nasceu ao primeiro de Fevereiro de mil nove centos e vinte e dois e foi por mim baptizado na Capella de Ouro Branco ao quatroze de Fevereiro do mesmo: foram padrinhos = Abdon Alves Nóbrega e Rosa de Araújo Nóbrega. De que mandei fazer este assento que assigno.

                                                                                                                        Conego Amancio Ramalho”

 

Honório Capiba foi proprietário de uma grande loja de tecidos que funcionou na Rua de Baixo, onde hoje é a casa de Dona Maria de Antonio Justino. Seus irmãos Cícero Capiba (Cícero Maciel da Fonseca) e João Capiba (João Maciel da Fonseca) também foram sócios no empreendimento

Honório Capiba era pertencente a uma família com raízes fincadas na música, era tio do famoso compositor pernambucano Capiba, e antes de vir morar em Ouro Branco ele já tinha fundado em 1912 a banda de música da cidade de Taperoá, no Estado da Paraíba.

Em Ouro Branco, Honório Capiba, que foi o primeiro professor de música de Ouro Branco, tentou formar uma banda de música, chegou a ensinar música – houve vários ensaios musicais – a alguns moradores daqui, entre os quais, Paulino Soares, Amaro Vieira, Pedro Procópio e Zé Apolinário. Mas como Ouro Branco era um povoado pertencente a Jardim do Seridó, que já contava com sua banda de música, os planos de Honório Capiba não se concretizaram. Ele ainda chegou a ser maestro da banda Euterpe Jardinense.

Em 1924, Honório Capiba foi embora para São João do Sabugi e lá fundou, com muito trabalho e sacrifício, a Filarmônica Coronel Nelson Faria em 1926, sendo que a primeira apresentação aconteceu em 31 de maio do mesmo ano, sendo executados dois dobrados: Retirada Saudosa e José Ezelino. Honório Capiba morreu em 1928, de febre tifóide.

Posteriormente a filarmônica de São João do Sabugi passou a denominar-se Firlamônica Honório Maciel, em homenagem póstuma ao seu fundador. Zé Honório (José Lourenço da Fonseca), filho de Honório Capiba, foi o terceiro maestro da Firlamônica Honório Maciel. O quinto maestro foi Manoel Felipe Nery, que também fez história aqui em Ouro Branco como professor de música.

O interessante é que Honório Capiba saiu de Ouro Branco e foi para São João do Sabugi, e lá fundou a filarmônica que hoje é denominada de Honório Maciel. Já Manoel Felipe Nery saiu de São João e veio para Ouro Branco ensinar música, sendo que posteriormente a banda de Ouro Branco foi fundada com a denominação de Filarmônica Manoel Felipe Nery, homenagem feita pelo então Prefeito Doutor Araújo, o mesmo foi aluno de Manoel Felipe Nery.

Para finalizar, Honório Capiba era natural do Estado de Pernambuco e lá ele era capitão da Guarda Nacional. Por ter se envolvido em questões políticas em Pernambuco, o mesmo teve que fugir com a família para não sofrer perseguições.

Manoel Felipe

FONTE: LIVRO “OURO BRANCO: DE 1722 A 1954”.

PARAÍBA REGISTRA CASOS SUSPEITOS DE DENGUE EM 219 CIDADES, DIZ SECRETARIA

 

Dos 223 municípios paraibanos, 219 registraram ocorrências de casos suspeitos de Dengue. Apenas as cidades de Carrapateira, Matinhas, São Domingos do Cariri e Serraria não sinalizaram casos da doença sistema. A informação faz parte do primeiro boletim da Dengue, Zika e Chikungunya de 2017, divulgado na última segunda-feira (10).

“É importante evidenciar que a sinalização de casos suspeitos de dengue é a base para o planejamento das ações de Assistência à Saúde, Vigilância Epidemiológica e Ambiental”, disse a gerente executiva de Vigilância em Saúde, Renata Nóbrega.

Segundo o boletim, de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2016 (52ª Semana Epidemiológica) foram notificados 44.374 casos de dengue na Paraíba. No mesmo período de 2015 registrou-se 29.858 casos, o que representa um aumento de 48,61%. no mesmo período também foram notificados 20.928 casos de chikungunya.

A Gerência Epidemiológica de Vigilância Sanitária (GEVS) destaca que a confirmação laboratorial do primeiro caso da doença na Paraíba ocorreu em dezembro de 2015 , com picos de casos entre a 13ª e a 20ª Semana Epidemiológica, o que corresponde ao 2º trimestre do ano, período de maior volume pluviométrico. Quanto aos casos notificados de Zika Vírus, entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano passado, foram registrados 4.899.

De acordo com a SES, existem atualmente três Unidades Sentinelas do Zika Vírus na Paraíba, implantadas para identificar a circulação viral, nos municípios de Bayeux, Campina Grande e Monteiro, conforme recomendação do Ministério da Saúde.

Mortes
De 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2016, a SES registrou 108 mortes suspeitas por arboviroses, desse total, 32 foram confirmadas por Chikungunya e sete por dengue, os demais casos estão em investigação.

Situação de risco
O levantamento da SES aponta que 32 cidades paraibanas estão em situação de risco. No período de 24 a 28 de outubro de 2016, foi realizado na Paraíba o 3º Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRa) e Levantamento de Índice Amostral do Aedes aegypti (LIA), este último, para municípios que possuem até 1.999 imóveis, conforme preconizado pelo MS.

​Os resultados, além de apresentarem a média dos indicadores larvários, revelam os espaços intraurbanos com as áreas de maior densidade de larvas, o que contribui para o direcionamento e, consequentemente maior efetividade das ações de combate do vetor, segundo a Secretária de Saúde.

FONTE:G1/PB

COMEÇANDO O DIA 12/2017

Estamos na 2ª semana do ano de 2017, no calendário gregoriano, hoje é o 12º dia do ano. O sol nasceu no horizonte neste momento, às 05:21 da manhã. Nos últimos trinta anos, choveu em Ouro Branco 16 vezes no dia de hoje, sendo que a maior precipitação registrada foi uma chuva de 22 mm em 1988. Em 1987 foi o dia de hoje mais frio que já tivemos (com 21 °C), e em 2003 foi o dia de hoje mais quente (com 36 °C). Pelo calendário Romano, hoje é Festa do Santíssimo Nome de Jesus.