CABO FELINTO E OS COMUNISTAS

 

Cabo Felinto

 

Em 25 de dezembro de 1935, na cidade de Natal, aconteceu um levante liderado por integrantes do Partido Comunista local. Eles tomaram um batalhão do Exército, o quartel da polícia militar e invadiram as repartições públicas tanto da prefeitura de Natal como do governo estadual.

Depois de assumir o controle da capital potiguar, os comunistas vieram em direção ao interior em caminhões, alguns requeridos da concessionária de Severino Alves Bila (Seu Bila), onde invadiram cidades, destituindo os prefeitos, delegados e outras autoridades dessas cidades.

Quando os comunistas vieram invadir o Seridó, políticos locais, entre eles, Dinarte Mariz, conseguiram constituir uma tropa composta por soldados da polícia militar, jagunços dos coronéis, além de outras pessoas, para enfrentar os comunistas. O embate se deu na Serra do Doutor, atual município de Campo Redondo- RN. Depois dum intenso tiroteio, alguns comunistas foram mortos, outros baleados e presos, além da maioria que fugiu.

No Seridó, comunista era sinônimo de bandido, chegavam até a dizer que eles matavam as crianças e bebiam o sangue delas. É claro que os líderes políticos do Seridó, na sua grande maioria, grandes latifundiários, tinham aversão as idéias dos comunistas, porque estes eram contra o grande latifúndio, ajudaram a criar uma imagem negativa e fantasiosa dos comunistas.

Quando chegou a notícia aqui em Ouro Branco que os comunistas estavam chegando ao Seridó, boa parte da população entrou em desespero não sabendo o que fazer. Moças corriam com suas mães para a casa de parentes ou amigos nos sítios e fazendas. Homens que se consideravam “valentões” correram para a Serra do Poção sem olhar para trás. Muitos fugiram para o vizinho estado da Paraíba e até pessoas idosas que tinham muita dificuldade em se locomover, correram como se fossem jovens.

É importante registrarmos o papel desempenhado por Dinarte Mariz que foi a Paraíba falar com o governador de lá, para convencer o mesmo a ajudar com homens e armas as tropas que iriam combater os comunistas. Dinarte Mariz voltou de Campina Grande, passou por Santa Luzia e, provavelmente, adentrou em Ouro Branco indo até a área do conflito.

Outro registro importante sobre o confronto com os comunistas é sobre o papel desempenhado pelo nosso bravo cabo Felinto (Felinto Gomes da Silva), que lutou nesse episódio com destemor e bravura, aliás, características que sempre o acompanharam ao longo de sua vida profissional aqui em Ouro Branco ou em outras cidades do Seridó onde o mesmo destacou. Enfrentou bandidos, cangaceiros (prendeu um cangaceiro em 1927 no sítio Esguicho e por esse ato de bravura foi promovido a cabo de esquadra) e até mesmo os comunistas na Serra do Doutor, sempre com altivez. Na descida da Serra do Doutor existe um monumento onde constam os nomes das pessoas que lutaram contra os comunistas em 1935, e lá está o nome de Felinto Gomes da Silva.

Já que estamos falando do cabo Felinto e para mostrarmos sua firmeza e honestidade, certa vez, na cidade de Jardim de Piranhas, cabo Felinto que estava destacando na cidade, prendeu um rapaz que estava criando problemas por lá, só que este rapaz pertencia a uma das famílias mais importantes de lá e logo que os parentes do rapaz souberam de sua prisão foram logo a delegacia soltá-lo, mas para surpresa de todos, cabo Felinto que estava sozinho na delegacia não soltou o rapaz e ainda disse que o levaria para o quartel em Caicó.

Vendo que o cabo Felinto não soltaria o rapaz, seus parentes logo ofereceram uma boa quantia em dinheiro para o cabo Felinto, quinhentos mil réis, que de pronto respondeu que por dinheiro nenhum soltaria o preso. Cabo Felinto pegou o seu rifle e veio escoltando a pé o prisioneiro até Caicó. No caminho caiu uma chuvarada enorme, mas mesmo assim ele continuou e algum tempo depois chegou a Caicó onde entregou o prisioneiro. Só que para a surpresa de cabo Felinto, os familiares logo chegaram num carro, entraram no quartel e “conversaram” com o chefe da guarnição que logo soltou o prisioneiro, voltando o mesmo para Jardim de Piranhas de carro, enquanto que cabo Felinto voltou a pé e com um baita resfriado. Cabo Felinto foi casado três vezes, teve alguns filhos, mas nenhum chegou a idade adulta.

José Fabrício de Lucena

FONTE: LIVRO “OURO BRANCO: DE 1722 A 1954”

COMEÇANDO O DIA 24/2017

Estamos na 4ª semana do ano de 2017, no calendário gregoriano, hoje é o 24º dia do ano. O sol nasceu no horizonte neste momento, às 05:26 da manhã. Nos últimos trinta anos, choveu em Ouro Branco 24 vezes no dia de hoje, sendo que a maior precipitação registrada foi uma chuva de 27 mm em 1987. Em 1988 foi o dia de hoje mais frio que já tivemos (com 22 °C), e em 2007 foi o dia de hoje mais quente (com 36 °C). Hoje é comemorado o dia do aposentado e da aposentada, e Quipauá congratula a todas as pessoas que tanto contribuíram para nós e não precisam mais trabalhar para receber o salário. Também é comemorado o dia da Constituição, em homenagem à constituição de 1824, assinada por Dom Pedro I há exatos 193 anos. Pelos calendários hagiológico e Romano, o santo do dia de hoje é São Francisco de Sales, doutor da Igreja Católica.