HISTÓRIA DE DELMIRO MONTEIRO, PRIMEIRO TESOUREIRO DA CAPELA DO DIVINO ESPÍRITO SANTO

Delmiro Monteiro da Silva, natural de Catolé do Rocha, foi um dos maiores comerciantes de Ouro Branco no período da criação do povoado Espírito Santo, em 1905, até a emancipação política no ano de 1953. Foi casado duas vezes e foi ele quem criou Jaime Catita. Ele tornou-se um grande comerciante trazendo produtos, principalmente, de Soledade- PB, na sua tropa de burros. O mesmo trazia centenas de garajaus de rapadura e também dezenas de quilos de queijo de coalho para vender aos moradores de Ouro branco e das cidades vizinhas. Delmiro era o dono da casa onde já moraram as irmãs Josefinas, “casa das feiras”. Ele tinha um oratório particular nessa casa onde se realizava batizados e casamentos e ao lado funcionava seu armazém. Abaixo, assentamento de casamento de Delmiro Monteiro com Maria Simplicia do Carmo (segunda esposa):

 

“Aos vinte e oito de Dezembro de mil nove centos e vinte e oito em oratório privado na rezidencia do Sr. Delmiro Monteiro perante as testemunhas Euclides Nobrega e Martinho Gomes de Oliveira não constando impedimento algum assisti ao enlace matrimonial de Delmiro Monteiro da Silva e Maria Symplicia do Carmo elle viúvo por fallecimento de Luzia Maria da Conceição e Ella viúva por fallecimento de Sebastião Cardôzo da Silva sendo elle nascido e baptizado no Catole do Rocha e morador nesta Freguesia e Ella nacida e baptizada nesta Freguesia onde é moradora. Do que para constar mandei fazer este assento que assigno.

Pe. Luis Wanderley Vigario”

 

Uma das características mais marcantes de Delmiro Monteiro era a sua religiosidade. Todos os padres e até mesmo quando vinha um bispo aqui em Ouro Branco, se hospedavam na casa de Delmiro Monteiro, que também foi tesoureiro da capela. Ajudou financeiramente na construção da capela do Divino Espírito Santo, posteriormente doou alguns contos de réis para a construção da torre da capela, entre os anos de 1946 e 1947, início e término da mesma, respectivamente, também, segundo algumas fontes orais, doou mais de trinta metros de mosaico para a montagem do piso da capela.

Delmiro Monteiro tinha algumas manias, entre elas, só comia carne de peru e bode, além de todo dia ralar queijo de coalho e misturar na comida no lugar da farinha de mandioca. Também havia algo muito inusitado na casa de Delmiro e que chamava a atenção dos moradores aqui de Ouro Branco, era um cata-vento feito de madeira que o mesmo fez e que gerava energia em algumas pequenas lâmpadas em sua casa (naquele tempo não havia energia em Ouro Branco) deixando- a iluminada durante a noite. Quando o cata-vento girava, um dínamo transformava a energia mecânica do cata-vento em energia elétrica e daí seguia para uma bateria. O interessante é que a casa iluminada de Delmiro era uma atração nas noites escuras de Ouro Branco para a população que ficava abismada com a invenção do engenhoso comerciante.

Delmiro Monteiro casou duas vezes, sendo que a sua segunda mulher, Maria Simplicia do Carmo, mais conhecida como Marica, já tinha alguns filhos, entre eles, Tomás, que sabia dirigir caminhão. Com os passar dos anos, Tomás conseguiu convencer Delmiro a comprar um caminhão para ele (Tomás) transportar e negociar produtos obtendo assim um bom lucro que deveria ser dividido entre os dois. Delmiro investiu cem contos de réis na compra do caminhão, uma fortuna para a época, além de Tomás pedir emprestado mais dez contos de réis para comprar os produtos necessários para começar a negociar e que Delmiro emprestou. No entanto, já faz mais de sessenta anos que Tomás pegou o caminhão juntamente com os dez contos de réis e sumiu no mundo deixando Delmiro com um “prejuízo salgado” igual aos queijos de coalho que o mesmo tanto apreciava.

 

FONTE: LIVRO “OURO BRANCO: DE 1722 A 1954”.

 

DILMA DIZ QUE PODE DISPUTAR ELEIÇÃO PARA SENADORA OU DEPUTADA

 

A ex-presidente Dilma Rousseff, que admite voltar a disputar cargo político (Evaristo Sá/AFP)

Dilma Rousseff parece mais relaxada do que quando estava na Presidência do Brasil. Brinca, repassa a apertada lista de conferências que a aguardam na Europa e nos Estados Unidos e, pela primeira vez, fala de seu futuro políticoDestituída em 2016 pelo Congresso, sob a acusação de maquiar as contas públicas, a ex-presidente passa seus dias em Porto Alegre, onde segue obedientemente sua rotina de exercícios físicos e passeios de bicicleta, e só parece perder a paciência quando é consultada sobre o escândalo de corrupção da Petrobras que atingiu seu governo.

“Eu não serei candidata a presidente da República, se é essa a sua pergunta. Agora, atividade política nunca vou deixar de fazer (…) Eu não afasto a possibilidade de me candidatar para esse tipo de cargo: senadora, deputada, esses cargos”, declarou em entrevista à agência AFP.

Apesar do impeachment, Dilma não perdeu seus direitos políticos para ocupar cargos públicos, e pode, portanto, ser candidata a cargos eletivos. Aos 69 anos, ela disputou apenas dois cargos eletivos em sua vida: a Presidência, que venceu em 2010, e a reeleição de 2014, ambas pelo PT.

 

FONTE:VEJA.COM

CHUVAS NA REGIÃO SERIDÓ

Durante toda a noite de sexta-feira (17) até a madrugada de hoje (18) foram registradas chuvas na região Seridó. Aqui em Ouro Branco no pluviômetro instalado na Rua Tenente Augusto o índice foi de 25,0 mm. Em Caicó choveu 124,0 mm no bairro Walfredo Guegel. Já no sítio Lagoa do Meio, zona rural de Caicó, a chuva ultrapassou os 200,0 mm, sendo que todos os açudes do referido sítio estão transbordando. Também chegou a chover granizo em Caicó, segundo moradores que registraram o fato raro em fotos.