DUAS MORTES EM OURO BRANCO NA NOITE DE SÃO JOÃO

No ano de 1935, na noite de São João, acontecia um grande bailão na casa do velho Manoel Miranda, pai de Chico Miranda (in memorian). Chico Giróme, no dia do bailão, disse a Dona Teodora, mãe de Dona Inácia (esposa de Aprígio Nascimento), que tinha passado por uma fogueira e não viu a réstia dele. Antigamente as pessoas diziam que se uma pessoa olhasse numa bacia d`água ou passasse numa fogueira e não visse nem o seu rosto nem a sua réstia o mesmo não estaria mais vivo no próximo ano. Chico Giróme disse a Dona Teodora que iria ao bailão na casa do velho Manoel Miranda, a mesma pressentindo algo, lhe falou para não ir. Mas Chico Giróme foi para o bailão.

O bailão estava lotado, a festa era muito grande, só que houve um desentendimento entre Chico Giróme e alguns do presente, sendo que num quarto da casa, alguns homens encurralaram Chico Giróme, primeiro o desarmando e logo em seguida o esfaquearam. Chico Giróme ainda gritou:

– Me acuda Mané!

Mané (Manoel de Bezinha) era o irmão dele que estava também no bailão. Adentrando na casa, Manoel de Bezinha logo se deparou com um brejeiro de nome Aldilon, ele era natural do brejo paraibano e ia saindo do quarto onde acabara de esfaquear Chico Giróme, dizendo a seguinte frase:

– Tirei a fera do pasto!

Manoel de Bezinha não pensou duas vezes, puxou o punhal da cintura e o apunhalou na barriga. Os dois ficaram a noite toda lado a lado na casa de Manoel Miranda sendo que Aldilon morreu logo, já Chico Giróme somente morreu no dia seguinte às oito horas da manhã.

FONTE: LIVRO “OURO BRANCO: DE 1722 A 1954”.

TEMER REBATE DILMA: OS QUE SE DIZEM FORTES DESTRUÍRAM O PAÍS

 

Michel Temer e Dilma Rousseff no Desfile da Independência em Brasília (DF) (Pedro Ladeira/Folhapress)

presidente Michel Temer rebateu nesta quarta-feira as declarações de sua antecessora Dilma Rousseff, que o chamou de “fraco e medroso” em entrevista concedida na semana passada ao jornal Valor Econômico. “Os que se dizem fortes destruíram o país”, afirmou o peemedebista, completando que “as pessoas confundem educação pessoal com eventual fraqueza”.

Temer conversou com o jornalista Roberto D’Ávila em entrevista que foi ao ar na noite desta quarta no canal Globonews. Além de rebater Dilma, o presidente falou sobre outros assuntos, como a Operação Carne Fraca e a “paternidade” da transposição do Rio São Francisco.

Sobre a Carne Fraca, Temer ressaltou que apenas 21 frigoríferos estão sob suspeita de um total de mais de 4 mil e destacou que o “espetáculo” da operação prejudicou o país, que viu as exportações de carne despencarem após embargos de nações compradoras. “Faz-se um espetáculo com esse episódio e cria-se um problema internacional”, lamentou. Apesar da crítica, o peemedebista disse que não vê razão para trocar o comando da Polícia Federal.

Lula

Questionado sobre o encontro com o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva em São Paulo, durante a internação da ex-primeira-dama Marisa Letícia, Temer afirmou que teve o cuidado de ligar para o médico Roberto Kalil Filho antes da visita, para saber se o petista poderia recebê-lo. “Ele disse que receberia com muito gosto.” O peemedebista defendeu que os ex-presidentes deveriam conversar mais e prometeu: “Chamarei os ex-presidentes para ajudar”.

Temer também chamou de “discussão inútil” a disputa pela “paternidade” da transposição do Rio São Francisco. Um dos trechos da obra, na Paraíba, foi inaugurado pelo peemedebista no início do mês e reinaugurado por Dilma e Lula dias depois. “O que importa é que a água chegou lá”, disse Temer. “O Lula fez o trabalho dele, sem dúvida nenhuma, como fez a ex-presidente Dilma.”

Outros temas

Na entrevista, Temer também defendeu a reforma da Previdência, afirmou que vai lutar contra sua cassação no TSE, disse que ainda não há nenhum encontro marcado com Donald Trump e repetiu que não apela para “atos populistas” ao justificar seu baixo índice de aprovação. Perguntado sobre a mudança-relâmpago do Palácio da Alvorada de volta para o Jabuti, o peemedebista reafirmou que ele e sua família estranharam muito a residência oficial do presidente. “Não deixo de acreditar em certas energias. Não me senti à vontade.”

FONTE:VEJA.COM

COMEÇANDO O DIA 82/2017

Estamos na 12ª semana do ano de 2017, no calendário gregoriano, hoje é o 82º dia do ano. O sol nasceu no horizonte neste momento, às 05:31 da manhã. Nos últimos trinta anos, choveu em Ouro Branco 25 vezes no dia de hoje, sendo que a maior precipitação registrada foi uma chuva de 46 mm em 1994. Em 2004 foi o dia de hoje mais frio que já tivemos (com 20 °C), e em 2016 foi o dia de hoje mais quente (com 34 °C). Pelo calendário Romano, o santo do dia de hoje é o espanhol apostólico, São Turíbio de Mongrovejo.