OUROBRANQUENSES QUE FAZEM A DIFERENÇA

Os parabéns do blog Quipauá vão para os ourobranquenses Rubens Bitan por sua promoção ao posto de capitão do Exército Brasileiro, e a estudante da Escola Estadual Manoel Correia, Ana Carolina, pela conquista do primeiro lugar no concurso de redação do Senado Federal. Parabenizamos também, a professora Clécia Medeiros por seus ótimos serviços prestados a nossa educação.

COMEÇANDO O DIA 361/2016

Iniciamos a 53ª semana do ano de 2016, e hoje é o 361º dia, no calendário gregoriano, com o ano sendo bissexto. O sol nasceu no horizonte neste momento, às 05:12 da manhã. Nos últimos trinta anos, choveu 13 vezes no dia de hoje, sendo que a maior precipitação registrada foi um chuvisco de 24mm em 1986. Em 2000 foi o dia de hoje mais frio que já tivemos, e em 2012 foi o dia de hoje mais quente. Hoje é o dia da lembrança, então aproveitemos para rememorar aquela história tão agradável com seus familiares. Também é o dia do pedreiro, categoria que em Ouro Branco está de parabéns pela dedicação ao ofício. No dia de hoje foi patenteada a transmissão de rádio tipo FM, em 1933, e aproveitamos para anunciar em breve uma reportagem sobre nossa Rádio Manairama, comunitária. Também foi promulgada a lei do divórcio. Pelo calendário santoral e no calendário Romano, hoje é o dia do santo considerado primeiro mártir do cristianismo, Santo Estevão.

IRMÃ DO PRESIDENTE DO TJ/RN É ASSASSINADA EM CAMPINA GRANDE

Uma empresária de 69 anos morreu após ser baleada durante um assalto na tarde deste sábado (24) no Centro de Campina Grande. De acordo com a Polícia Militar, a vítima estava saindo de um estacionamento quando foi abordada pelos suspeitos. A empresária, Célia Márcia Santos Cirne, era irmã do presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, Cláudio Santos. A família não divulgou informações sobre o velório.
O caso foi registrado no início da tarde, na Rua Getúlio Vargas. A empresária estava saindo do estacionamento quando foi abordada por dois homens em uma moto. Segundo a PM, a dupla anunciou o assalto e em seguida atiraram contra a mulher, que foi atingida na cabeça.
Ela ficou um pouco assustada e eles entenderam como se fosse uma reação e atiraram.
Do local foi levado a bolsa da vítima com objetos pessoais”, disse a tenente Rafaela Rotundano, da Polícia Militar.
Após ser baleada, a empresária perdeu o controle do carro e atravessou a rua, atingindo outro veículo que seguia pelo local. “Não tinha como eu parar e pensei até que não tinha motorista no carro, ai quando eu passei que vi eu brequei e quando bati, que o rapaz correu, ai disse que tinha uma pessoa baleada”, explicou o motorista, o autônomo Joab Rodrigues.
Ainda de acordo com a PM, a mulher chegou a ser socorrida com vida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, mas não resistiu aos ferimentos e morreu durante o atendimento.
A Polícia Civil investiga o caso e segundo o delegado Cláudio Manoel, as imagens das câmeras de segurança dos estabelecimentos próximos ao local do crime foram solicitadas para tentar identificar a dupla. “Por enquanto trata-se de um latrocínio tentado, onde segundo testemunhas os pertences dela foram levados e ela foi atingida por um tiro”, completou o delegado.
Fonte: G1 PARAÍBA

 

O CANGACEIRO ANTONIO SILVINO EM OURO BRANCO

 

 

Antonio Silvino (1º dia no presídio de Recife-PE)

Baseado em fontes documentais e orais, podemos afirmar que o afamado cangaceiro Antonio Silvino (conhecido como o rifle de ouro), cujo verdadeiro nome era Manoel Batista de Morais, e seu bando passaram em Ouro Branco pelo menos três vezes. Antonio Silvino e Lampião foram os dois maiores nomes do cangaço nordestino.

A primeira vez foi em 12 de fevereiro de 1901, véspera da data na qual ocorreria o casamento da última filha solteira do coronel  Januncio Salustiano da Nóbrega, da fazenda Pedreira, filho de Gorgônio Paz de Bulhões, da Timbaúba.

Na noite de 12 de fevereiro de 1901, Antonio Silvino e seu bando estiveram nas cercanias de Santa Luzia onde por intermédio do padre Jovino da Costa Machado arrecadou uma boa soma em dinheiro dos moradores mais abastados e depois foram em direção a fazenda Pedreira a convite de dois filhos do coronel Januncio para participarem da festança do casamento. Esse convite foi feito ao capitão Antonio Silvino quando o próprio juntamente com seu bando de cangaceiros cercou os dois filhos do coronel Januncio no sertão da Paraíba, os mesmos estavam retornando de Pernambuco. No entanto, fazia parte do bando de cangaceiros do capitão Antonio Silvino, o negro Azulão, que era de Caicó e já tinha trabalhado para um filho do coronel Januncio, o tenente-coronel Gorgônio, e após reconhecer os dois outros filhos do coronel, pediu ao capitão Antonio Silvino que não fizesse nada com os filhos do coronel Januncio.  Então, os dois filhos do coronel Januncio fizeram o convite para o capitão Antonio Silvino e seu bando  participarem do casamento da irmã deles.

Quando vieram para o casamento na Pedreira, o bando de cangaceiros tinha a frente com o capitão Antonio Silvino, o negro Azulão, pois, o mesmo sabia o caminho para a Pedreira. Passaram no Poção de madrugada em direção a Pedreira, sendo, portanto, a primeira vez que o capitão Antonio Silvino adentrou em terras potiguares.

Só que no encalço dos cangaceiros estava uma força policial comandada pelo tenente Tolentino, vindos de Santa Luzia. Passou por Ouro Branco e foram até a Pedreira onde surpreendeu os cangaceiros na manhã de 13 de fevereiro de 1901.

No tiroteio entre a polícia e os cangaceiros, morrem o cangaceiro Pilão Deitado e dois sargentos da polícia paraibana, Nestor e Estolão. Estes foram mortos por Antonio Silvino, que com dois tiros certeiros de seu rifle acabou com a vida dos dois jovens sargentos.

Antonio Silvino conseguiu fugir a pé do cerco policial. Outros cangaceiros não tiveram a mesma sorte do chefe, pois, mesmo fugindo do tiroteio na Pedreira, alguns foram posteriormente capturados e executados pela polícia. Azulão e Morreninho são presos na fazenda Dominga em Caicó, do tenente-coronel Gorgônio, e lá mesmo são executados. Pimenta e Macambira são presos em São José do Sabugi e executados em Santa Luzia, antes de serem executados, eles foram obrigados a cavar as suas próprias covas. Já o cangaceiro João Paciente é preso próximo a fazenda Pedreira, no Umari, e lá mesmo também é executado.

O livro “O fogo da Pedreira”, de Orlando Rodrigues, conta em detalhes o tiroteio entre o bando de Antonio Silvino e a força policial na Pedreira.

Em outra passagem por Ouro Branco em de 1911, Antonio Silvino e seu bando vinham de Jardim do Seridó famintos e cansados quando chegaram ao hotel de Silvéria Gorda (Silvéria Francelina da Conceição) que ficava na Rua de Baixo. Antonio Silvino logo chegou, apeou-se do cavalo com seu rifle Winchester e o punhal atravessado, entrou no hotel onde após se apresentar logo pediu a Silvéria Gorda para pôr comida e bebida para o seu bando.

Escabreado como sempre, Antonio Silvino deixava uma parte do bando dentro do hotel, enquanto esses tiravam a barriga da miséria com os ótimos quitutes de Silvéria Gorda, o resto do bando ficava fora do hotel na espreita pra ver se os “macacos” apareciam.

Passando alguns minutos, aproximou-se do hotel, Joaquim Ananias, neto de Bartholomeu de Souza Silva, o mesmo estava com uma dor de dente infernal, e adentrando no hotel foi logo recepcionado pelo capitão Antonio Silvino que se apresentou lhe dizendo:

– Eu sou o capitão Antonio Silvino, mas me diga, seu cabra, por que você tá com cara de aborrecido?

Assustado em estar de frente com o temido cangaceiro, Joaquim Ananias responde:

– Eu tava com uma dor de dente danada capitão, mas agora já passou!

Em 1912, novamente Antonio Silvino adentra o povoado do Espírito Santo só que dessa vez o mesmo dá um desfalque em três comércios, principalmente, na bodega de Pedro Gonçalves de Souza, que fecha seu estabelecimento e vai embora para Caicó. Antonio Silvino aproveita sua presença aqui na região e vai a Santa Luzia para se vingar do capitão Aristides de Araújo Guerra (bisavô de Dona Maria José de Nóbrega), chefe político de Santa Luzia, porque ele tinha certeza absoluta que tinha sido o capitão Aristides, o responsável pela emboscada policial na Pedreira. Chegando a Santa Luzia, a vingança foi consumada, pois Antonio Silvino deu uma surra de chibatadas no capitão Aristides que já se encontrava com a idade avançada.

Antonio Silvino esteve no Poção, na casa de Amaro Leopoldino da Costa, mais conhecido como Amaro do Poção, também esteve na casa de Manoel Correia, no Cobiçado, e no sítio Angicos, propriedade de Joaquim Melquíades Alves Chianca.

Dona Maria Figueredo, já está com 102 anos de idade, e me falou que sua família morava na Paraíba no início do século passado, quando ela ainda recém nascida ganhou dois anéis de presente do capitão Antonio Silvino, um de ouro e outro de prata. O presente foi entregue pelo próprio Antonio Silvino ao pai de Dona Maria, Ananias Dantas da Silva. O anel de ouro, a mãe de Dona Maria vendeu por causa duma seca muito severa, tendo que se desfazer do mesmo, já o anel de prata se encontra até hoje com Dona Maria.  Antonio Silvino foi preso após se ferir num tiroteio com policiais em 1914, no Estado de Pernambuco.

FONTE: “LIVRO “OURO BRANCO: DE 1722 A 1954”.

TEMER DIZ QUE NÃO PENSA EM RENUNCIAR

O presidente Michel Temer disse na manhã desta quinta-feira que não cogita renunciar ao cargo e que vai recorrer caso o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determine a cassação da chapa Dilma-Temer. No próximo ano, o tribunal vai julgar a ação que analisa se houve abuso de poder econômico na eleição de 2014.

“Não tenho pensando em renúncia”, afirmou o presidente em café da manhã com jornalistas no Palácio da Alvorada. Ele não descartou recorrer caso a decisão seja pela cassação da chapa. E em seguida completou: “Serei obediente à decisão definitiva do Judiciário”.

Sobre a Lava Jato, ele voltou a criticar vazamentos de delações de executivos e ex-executivos da Odebrecht. Temer foi citado pelo ex-executivo Claudio Melo Filho, que o acusou de ter pedido dinheiro para a campanha do PMDB.

“Vazamento de delações cria clima de instabilidade”, afirmou Temer. “Não pode soltar uma delação por semana. Não dá para esperar 77 semanas para que todas as delações sejam trazidas à luz”, disse. Na semana passada, Temer mandou carta ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pedindo “celeridade” no caso.

FONTE: VEJA.COM

 

COMEÇANDO O DIA 358/2016

Estando na 52ª semana do ano de 2016, hoje é o 358º dia, no calendário gregoriano, com o ano sendo bissexto. O sol nasceu no horizonte neste momento, às 05:11 da manhã. Nos últimos trinta anos, choveu 15 vezes no dia de hoje, sendo que a maior precipitação registrada foi uma chuviscada de 19mm em 1989. Em 1986 foi o dia de hoje mais frio que já tivemos, e em 2012 foi o dia de hoje mais quente. Hoje é considerado o dia do vizinho, portanto dê um alô ao seu morador ao lado. Também é o dia do atleta amador, e ficam de parabéns todos aqueles que dedicam um tempo de seu dia para ficar saudável através da prática de caminhada ou corrida, que faz bem ao corpo, à mente e à sociedade, pois tem menos a gastar com remédios. No dia de hoje o Banco Central do Brasil retirou de circulação as moedas de aço de R$ 1,00 (um real), que passou a não ter mais validade, embora ainda fosse possível encontrar algumas perdidas pelas calçadas de Ouro Branco, principalmente nos arredores do Mercado Público Prefeito Luiz Paulino. Pelo calendário santoral e no calendário Romano, hoje é o dia do presbítero São João Câncio.

‘FALHA’ EM MILAGRE EM NÁPOLES É VISTA COMO PRENÚNCIO DE GRANDES TRAGÉDIAS

NÁPOLES, 19 Dez. 16 / 03:30 pm (ACI).- No dia 16 de dezembro, o sangue de São Januário não se liquefez, como habitualmente acontece todos os anos em Nápoles, na Itália.

Segundo informa o jornal italiano ‘La Stampa’, o sangue custodiado em uma ampola em um relicário – que costuma se liquefazer no primeiro domingo de maio, no dia 19 de setembro, festa do santo, e no dia 16 de dezembro – não se liquefez como normalmente acontece nessas datas.

A razão da liquefação em 16 de dezembro é porque neste dia, em 1631, o santo conseguiu que a cidade não fosse afetada pela erupção do vulcão Vesúvio.

Quando o milagre da liquefação do sangue não ocorre, “sempre esteve ligado a momentos nefastos da história da cidade” como guerras, epidemias e terremotos, explica ‘La Stampa’.

Diante dessa situação, o abade da capela dos tesouros na Catedral de Nápoles, Mons. Vincenzo De Gregorio, exortou a “não pensar em calamidades ou desgraças. Nós somos homens de fé e devemos seguir rezando”.

O sangue seco de São Januário é preservado em duas ampolas de vidro e tradicionalmente se liquefaz três vezes por ano: o primeiro domingo de maio, 19 de setembro, a festa do Santo e 16 de dezembro. A Igreja diz que o milagre acontece graças à dedicação e orações dos fiéis.

O milagre consiste em que a massa de sangue seco vermelho, aderida a um dos lados da ampola, se converte em sangue completamente líquido após vários minutos, chegando a cobrir todo o vidro.

O processo de liquefação, às vezes, demora horas, até mesmo dias ou, em certas ocasiões, não acontece, como desta vez.

Em 21 de março de 2015, enquanto o Papa Francisco dava alguns conselhos aos religiosos, sacerdotes e seminaristas de Nápoles, também ocorreu o milagre de São Januário e o sangue se liquefez.

Antes dessa ocasião, a última vez em que o milagre havia ocorrido com um Pontífice tinha sido em 1848, com Pio IX. Não aconteceu quando João Paulo II e Bento XVI visitaram a cidade em outubro de 1979 e no mesmo mês de 2007, respectivamente.

Fonte: ACI digital

COMEÇANDO O DIA 357/2016

Estando na 52ª semana do ano de 2016, hoje é o 357º dia, no calendário gregoriano, porque o ano em que ainda estamos é bissexto. Hoje o sol nasceu no horizonte neste momento, às 05:10 da manhã. Em regiões tropicais, é o segundo dia do Verão, que se iniciou ontem, às 07:44 da manhã, mas pouco importa aos ourobranquenses, por estar o município localizado numa região equatorial. Nos últimos trinta anos, choveu 16 vezes no dia de hoje, sendo que a maior precipitação registrada foi um chuvisco de 8mm em 2008. Em 2000 foi o dia de hoje mais frio que já tivemos, e em 2012 foi o dia de hoje mais quente. Em 2003 foi publicada a Lei Federal nº 10.826, o Estatuto do Desarmamento, que resultou em referendo em outubro de 2005, conforme previa o artigo 35, e marcou um período de três anos seguidos com eleições em Ouro Branco. Pelo calendário hagiológico (o calendário santoral), o santo do dia de hoje é Francisca Xavier Cabrini, uma cidadã dos Estados Unidos que foi canonizada em 1946.