web analytics

É ALARMANTE O NÚMERO DE FOCOS DO MOSQUITO DA DENGUE ENCONTRADOS EM OURO BRANCO

Mosquito da dengue

O blog  Quipauá apurou que é alarmante o número de focos do mosquito da dengue encontrados em nossa cidade. No dia 13 de março foi iniciado o LIA – Levantamento do Índice Amostral – em Ouro Branco sendo que o mesmo foi finalizado no dia 16  de março. Foram inspecionados 220 imóveis no LIA, sendo que em 38 imóveis foram encontrados focos do mosquito Aedes aegypti, ou seja, 17,2% de infestação. O número é altíssimo.

O LIA é uma pesquisa que é realizada em 10% dos imóveis do município, e a partir desses dados é possível detectar o número de focos como também a sua distribuição na área pesquisada. Para a população entender melhor, como o índice de infestação ficou em 17,2%, isso significa que a cada 100 imóveis pesquisados aqui em Ouro Branco, 17 imóveis foram encontrados focos do mosquito da dengue. Na sua grande maioria os focos são encontrados em cisternas, tanques, tambores e caixas- d`água.

Segundo o Ministério da Saúde, abaixo de 1% a condição é satisfatória, entre 1% e 3,9% a situação é de alerta, já superior a 4% há risco de surto de dengue. Somente para lembrar, Ouro Branco está com 17,2% de infestação segundo dados do LIA realizado em março de 2017.

 

Compartilhe nossas postagens por:

3 comments for “É ALARMANTE O NÚMERO DE FOCOS DO MOSQUITO DA DENGUE ENCONTRADOS EM OURO BRANCO

  1. Anônimo
    7 de abril de 2017 at 11:35

    O que é de se causar estranheza é como a secretaria de saúde está realizando o programa de saúde na escola com ênfase na orientação e combate ao mosquito AEDES AEGYPTI sem a participação dos agentes de ENDEMIAS. Fiquei sabendo que informações imprecisas, sobre a concentração de focos do mosquito na cidade, foi divulgada nas escolas. Se isso ocorreu foi pelo simples fato da equipe não ter procurado o setor de endemias para se informar da pesquisa realizada em março.Cabe informar também, que o setor de endemias não tem coordenador e que os trabalhos realizadas pelos agentes de endemias não saem das gavetas da sec. de saúde.

  2. Anônimo
    7 de abril de 2017 at 11:31

    O que é de se causar estranheza é como a secretaria de saúde está realizando o programa de saúde na escola com ênfase na orientação e combate ao mosquito AEDES AEGYPTI sem a participação dos agentes de ENDEMIAS. Fiquei sabendo que informações imprecisas, sobre a concentração de focos do mosquito na cidade, foi divulgada nas escolas. Se isso ocorreu foi pelo simples fato da equipe não ter procurado o setor de endemias para se informar da pesquisa realizada em março.Cabe informar também, que o setor de endemias não tem coordenador e que os trabalhos realizadas pelos agentes de endemias não saem das gavetas da sec. de saúde.

  3. Anônimo
    7 de abril de 2017 at 10:48

    o que não se entende é como esta acontecendo o programa saúde na escola com ênfase em orientações sobre combate ao mosquito da dengue, e os agentes de endêmicas não participaram dessa, campanha. fiquei sabendo que até informações imprecisa sobre a concentração de focos foi anunciada nas escolas, isso porque a equipe não se deu o trabalho de procurar o setor de Endêmicas pra informar com precisão a realidade da concentração de focos na cidade. Sei também que o setor de endêmicas está sem coordenação e por isso as informações não das gavetas da séc de saúde.

Comments are closed.